Bissinho Zavatti, na Moto 2, e Thiago Veloso, na Brasil, mantêm lideranças para a Honda Racing no Sertões 2020

 Minaçu (GO) – A equipe Honda Racing segue na liderança do Sertões 2020 com Bissinho Zavatti, na categoria Moto 2 (antiga Production Aberta), e Thiago Veloso, na Brasil, após duas etapas da competição. Nesta segunda-feira (2/11), os pilotos encararam a maior especial (trecho cronometrado) da 28ª edição, com 353 quilômetros, e a primeira parte da maratona – na qual os pilotos não podem contar com ajuda mecânica externa. Ao todo, foram percorridos 512 quilômetros entre a Bolha 1, em Brasília (DF), até a Bolha 2, em Minaçu (GO).



Vencedor da primeira etapa na geral das motos, com a CRF 450RX, Bissinho Zavatti foi o primeiro a largar. “Tivemos um dia bem longo e uma especial técnica e traiçoeira, com trial e travessia de rio, com fundo de pedra, que exigiu bastante atenção. Também encaramos uma região montanhosa, com bastante serra com subida e descida, muito cascalho, porém molhada e com partes muito lisas. No Km 40 acabei caindo em uma lomba. Não foi nada grave, levantei e fui até o final”, relatou o paulista de Monte Alto, melhor colocado do dia na categoria Moto 2 e segundo lugar na classificação geral das motos. Ele tem no currículo quatro títulos do Sertões na categoria Brasil.


O representante da equipe Honda Racing neste ano na classe exclusiva para motos nacionais é Thiago Veloso. O mineiro de Três Pontas, que participa do Sertões pela primeira vez, venceu novamente na Brasil e ficou em oitavo lugar na geral, com a CRF 250F. “Consegui andar bem, sem cometer erros. Como a maior parte da especial foi bem travada, pude andar bem próximo das motos importadas. Estou muito feliz com meu desempenho e espero seguir assim até o final”, ressalta.

Atual bicampeão do Sertões na geral das motos, Tunico Maciel finalizou a etapa na segunda colocação da Moto 1 (antiga Super Production) e em quinto na geral. “O dia foi bem duro, travado, pegamos chuva no meio do percurso, que ficou liso. Só no final pegamos um estradão. Um arame agarrou na minha roda e perdi um pouco de tempo para tirar. Ainda temos cinco dias pela frente e vamos com tudo recuperar”, conta o mineiro de Lavras, que acelera também a CRF 450RX. Ele está em terceiro na classificação geral na soma dos dois dias.
 
Para Jean Azevedo, sete vezes campeão da prova na geral das motos, a etapa foi bastante complicada e apimentada pela chuva. “Juntou tudo isso com a maratona, que exige muito cuidado e atenção. As motos estão em parque fechado e não têm manutenção. As características da próxima etapa devem ser como essa. O objetivo é sair da maratona sem problemas para chegarmos bem até o final, em Barreirinhas (MA)”, finaliza o terceiro colocado na Moto 2 e sétimo do dia na geral. Na corrida pelo título, o paulista de São José dos Campos ocupa a sexta posição.

Nesta terça-feira (3/11), os pilotos aceleram na segunda parte da maratona, que homenageia o piloto Paulo Gonçalves. Serão 369 quilômetros, desses 200 são de trechos cronometrados, entre a Bolha 2, em Minaçu (GO) até a Bolha 3, também no estado de Goiás.

O Sertões 2020 contará com 4.567 quilômetros no total, sendo 1.842 de especiais, que incluem passagem pelo Distrito Federal e pelos estados de Goiás e Tocantins. A chegada será no dia 7 de novembro, em Barreirinhas (MA). Os cinco primeiros dias da prova valem para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country 2020.

A equipe Honda Racing de Rally é patrocinada por Pro Honda, ASW, Alpinestars, DID, Michelin e Seguros Honda.

Resultados – Sertões 2020 - Extraoficiais

Classificação após a 2ª etapa – Geral Motos
1 – #3 – Ricardo Martins – 09:29:24
2 – #11 – Bissinho Zavatti – 09:33:42 – Honda CRF 450RX
3 – #1 – Tunico Maciel – 09:37:13 – Honda CRF 450RX
4 – #5 – Tulio Malta – 09:38:38
5 – #75 – Emerson Loth – 09:38:39
6 – #4 – Jean Azevedo – 09:39:49 – Honda CRF 450RX
8 – #58 – Thiago Veloso – 09:46:49 – Honda CRF 250F

Classificação após a 2ª etapa – Moto 1 (antiga Super Production)
1 – #3 – Ricardo Martins – 09:29:24
2 – #1 – Tunico Maciel – 09:37:13 – Honda CRF 450RX
3 – #4 – Jean Azevedo – 09:39:49 – Honda CRF 450RX
4 – #51 – Francisco Oliveira – 10:14:49

Classificação após a 2ª etapa – Moto 2 (antiga Production Aberta)
1 – #11 – Bissinho Zavatti – 09:33:42 – Honda CRF 450RX
2 – #5 – Tulio Malta – 09:38:38
3 – #75 – Emerson Loth – 09:38:39
4 – #8 – Bruno Leles – 09:49:18
5 – #10 – Luciano Gomes – 09:50:49

Classificação após a 2ª etapa – Brasil
1 – #58 – Thiago Veloso – 09:48:49 – Honda CRF 250F
2 – #33 – Rafael Espindola – 10:07:50 – Honda CRF 250F
3 – #52 – João Paulo Fornazari – 10:10:58 – Honda CRF 250F
4 – #28 – André Bezerra – 10:12:38 – Honda CRF 250F 
5 – #50 – Francisco Pitombeira – 10:39:01 – Honda XRE 300

2ª etapa – Geral Motos
1 – #3 – Ricardo Martins – 05:39:42
2 – #72 – Vitor Siqueira – 05:43:00
3 – #75 – Emerson Loth – 05:44:14
4 – #11 – Bissinho Zavatti – 05:44:24 – Honda CRF 450RX
5 – #1 – Tunico Maciel – 05:47:14 – Honda CRF 450RX
7 – #4 – Jean Azevedo – 05:50:06 – Honda CRF 450RX
8 – #58 – Thiago Veloso – 05:51:17 – Honda CRF 250F

2ª etapa – Moto 1 (antiga Super Production)
1 – #3 – Ricardo Martins – 05:39:42
2 – #1 – Tunico Maciel – 05:47:14 – Honda CRF 450RX
3 – #4 – Jean Azevedo – 05:50:06 – Honda CRF 450RX
4 – #51 – Francisco Oliveira – 06:12:35

2ª etapa – Moto 2 (antiga Production Aberta)
1 – #75 – Emerson Loth – 05:44:14
2 – #11 – Bissinho Zavatti – 05:44:24 – Honda CRF 450RX
3 – #5 – Tulio Malta – 05:47:29
4 – #8 – Bruno Leles – 05:56:58
5 – #10 – Luciano Gomes – 05:58:46

2ª etapa – Brasil
1 – #58 – Thiago Veloso – 05:51:17 – Honda CRF 250F
2 – #52 – João Paulo Fornazari – 06:03:12 – Honda CRF 250F
3 – #33 – Rafael Espindola – 06:04:12 – Honda CRF 250F
4 – #28 – André Bezerra – 06:05:48 – Honda XRE 300
5 – #70 – Adão Lemos – 06:21:48 – Honda XRE 300


Roteiro completo do Sertões 2020*

3/11/2020 - terça-feira

3ª etapa - Bolha 2 / GO a Bolha 3 / GO - 2ª parte Maratona "Paulo Gonçalves"
Deslocamento inicial: 0 km
Trecho especial: 200 km
Deslocamento final: 169 km
Total: 369 km

Na segunda parte da Etapa Maratona, o homenageado será o piloto português de motocicleta Paulo Gonçalves, que faleceu após um acidente no Rally Dakar 2020. O dia promete ser bem completo, mesclando velocidades altas, médias e baixas. Apesar dos 10 km iniciais bem velozes, a especial logo entra em uma dura subida de serra, com muitas pedras, depressões, pontos sem visão e trechos sinuosos com abismos dos dois lados. Após muito sobe e desce, na metade da especial, por volta do km 100, haverá uma longa descida. O piso terá fesh fesh e exige cautela nas ultrapassagens. Os competidores passarão por dois grandes rios com pedras e vão encarar uma serra íngreme no final, por região não povoada e solo com muitas pedras e cascalhos. 

4/11/2020 - quarta-feira
4ª etapa - Bolha 3 / GO a Bolha 4 / TO
Deslocamento inicial: 26 km
Trecho especial: 329 km
Deslocamento final: 295 km
Total: 650 km

O dia começa muito rápido, no estilo das especiais no Campeonato Mundial de Rally (WRC), e fica mais lento quando entra em um trecho com mata-burros, pedras e pontes - em algumas delas haverá radar. O grande desafio será o trecho de 60 km de areia, no qual a navegação será exigida ao máximo. Após o abastecimento, os competidores enfrentarão caminho travado e pontos de trial, em terreno característico de cerrado. Nos últimos 60 km, curvas de altas velocidades e chão com piçarra. 

5/11/2020 - quinta-feira
5ª etapa - Bolha 4 / TO a Bolha 5 / MA
Deslocamento inicial: 99 km
Trecho especial: 227 km
Deslocamento final: 284 km
Total: 610 km


Apesar dos km iniciais travados, a especial imprime altas velocidades em um trecho de areia, ao lado de uma plantação de eucaliptos. O terreno arenoso fica bem mais pesado até a metade do trajeto, quando assume as características do Jalapão, no Tocantins. Os competidores encerram a especial em terreno de piçarra, onde poderão atingir altas velocidades e sentir o prazer da pilotagem. 
  
6/11/2020 - sexta-feira
6ª etapa - Bolha 5 / MA a Bolha 6 / MA
Deslocamento inicial: 128 km
Trecho especial: 300 km
Deslocamento final: 313 km
Total: 741 km


A especial já começa com belas paisagens, por estradas de médias velocidades que vão ficando cada vez mais estreitas e travadas. A partir da metade, o trajeto fica mais rápido, com lombas e depressões. Haverá dois trechos com retas muito longas, de altíssimas velocidades, em terreno de piçarra. No final, será preciso mais atenção para completar a especial em trechos arenosos. 


7/11/2020 - sábado
7ª etapa - Bolha 6 / MA a Barreirinhas (MA)
Deslocamento inicial: 258 km
Trecho especial: 223 km
Deslocamento final: 34 km
Total: 515 km


A organização do Sertões promete deixar a melhor especial para o final. Com prova na areia, a navegação fará toda a diferença. Após um começo travado em piçarras, o trecho fica arenoso à medida que cruza pequenos riachos, os quais estarão secos na época da prova. Após o abastecimento, praticamente na metade da especial, as dificuldades serão extremas por conta da areia e da parte final com navegação por GPS em dunas. Com muitos way points a serem cobertos, qualquer erro pode ser fatal. O final em Barreirinhas promete ser apoteótico, a imagem a ser gravada nas memórias dos participantes. Chegar ao final do Sertões 2020 já será uma grande vitória. 

TOTAL DO PERCURSO: 4.567 km 
TOTAL DE ESPECIAIS: 1.842 km


Share on Google Plus

Publicado por Velocross News

0 comentários:

Postar um comentário